PDF Imprimir E-mail

Endoscopia digestiva alta

Última atualização em Qui, 29 de Janeiro de 2009 11:21

   A endoscopia digestiva alta é um procedimento que permite que o médico examine a porção alta do sistema digestivo, que inclui o esôfago, o estômago e o duodeno (que é a primeira parte do intestino delgado).

   Quem realiza o procedimento?

   O exame é realizado por um endoscopista, um médico que possui treinamento específico para utilizar o endoscópio e examinar o sistema digestivo alto, procurando inflamação, sangramento, úlceras ou tumores.

   Por que uma endoscopia digestiva alta pode ser solicitada?  

   As causas mais comuns para a realização de uma endoscopia digestiva alta, são as seguintes:

Náuseas e vômitos persistentes
Dor abdominal alta, pirose ou sintomas da doença do refluxo gastro-esofágico
Sangramento do trato gastrointestinal alto (vômitos com sangue ou sangue nas fezes)
Dificuldade para engolir; alimentos ou líquidos ficando presos no esôfago
Retirada de corpo estranho
Acompanhamento de tumores ou pólipos previamente diagnosticados

   Como é feita a preparação para o exame?

   A preparação para a realização do exame consiste em jejum absoluto por 6 horas antes do exame. É importante que o estômago esteja vazio para permitir que o endoscopista visualize toda a área do órgão e para diminuir o risco de aspiração, que ocorre quando alimentos ou líquidos são regurgitados para os pulmões quando da sedação para o exame.

   Pacientes que tomam medicações específicas (para algum tipo de doença), podem ser orientados a modificar as doses ou mesmo suspendê-los vários dias antes do exame.

Essa preparação deve ser realizada para maximizar a segurança do procedimento e para minimizar potenciais complicações.

   É necessário o acompanhamento do paciente por um amigo ou membro da família, para levá-lo para casa após o exame. Apesar que o paciente estará acordado no momento de sua liberação, a medicação utilizada para sedação provoca alterações nos reflexos e julgamento, interferindo na habilidade de dirigir ou realizar decisões coerentes (efeitos similares ao álcool).

   Antes do procedimento o paciente é orientado sobre o procedimento, e o porque ele será realizado. O médico revisará se o paciente realizou o preparo adequado para o exame, incluindo a revisão de possíveis complicações, e solicitará que o paciente assine o documento do consentimento informado.

   A enfermeira obterá um acesso venoso periférico, para infusão de medicação e soro durante o procedimento. O acesso venoso representará uma picada leve no antebraço, similiar da coleta de sangue para exames laboratoriais. A medicação consiste de um sedativo (para ajudar o paciente a relaxar) e um narcótico (para prevenir qualquer desconforto).

   Os seus sinais vitais (frequência cardíaca, níveis de oxigênio no sangue) serão monitorizados durante todo o procedimento. A monitorização não é dolorosa. Alguns pacientes receberão oxigênio durante o exame. Por questões de segurança, próteses dentárias móveis deverão ser retiradas antes do procedimento.

   Como é realizado o procedimento?

   Tipicamente o exame dura de 10 a 20 minutos. A endoscopia é realizada com o paciente deitado sob o seu lado esquerdo. Uma medicação anestésica na forma de spray será administrada em sua gargante, para diminuir os reflexos de vômito do local. Uma proteção bucal de plástico é posicionada entre os dentes para prevenir lesão dentária e ao aparelho (evitar mordedura).

   O endoscópio é um tubo flexível dotado de lentes e uma fonte de luz que permite o endoscopista ver através do aparelho ou através de um monitor. Com a imagem refletida no monitor, ela pode ser magnificada diversas vezes, permitindo que o endoscopista veja pequenas alterações teciduais. Será solicitado que o paciente engula o tubo; muito pacientes não se lembram dessa parte após o efeito das medicações. A maioria das pessoas não têm problemas para engolir o aparelho pela ação dos medicamentos. Muitos dormem durante o exame e outros fazem o exame sem medicação e sem muito incômodo.

   O que acontece após o exame?

   O paciente deve permanecer no setor de exames cerca de 30 minutos para recuperação do efeito sedativo das medicações. Será liberado quando se encontrar em condições de andar espontaneamente. A garganta poderá ficar um pouco dolorida por alguns instantes, poderá sentir distensão abdominal devido ao ar introduzido no estômago durante o exame e é comum a amnésia (não se recordar do exame).

   Após o exame, poderá ingerir alimentos líquidos ou sólidos, conforme aceitação, porém só poderá beber ou comer após passar o efeito anestésico da garganta.

   Devido ao uso de medicação sedativa, o paciente não poderá conduzir veículos ou exercer atividades que necessitem atenção durante o resto do dia. Deve repousar em casa, não podendo retornar dirigindo, a menos que tenha optado fazer o exame sem sedação.

   O resultado será entregue ao paciente no mesmo dia do exame. Caso haja biópsia ou a retirada de pólipos, o resultado só estará disponível após 10 a 15 dias. Se houver pesquisa do Helicobacter pylori pelo teste da urease o resultado será fornecido juntamente com o laudo.

   Podem ocorrer complicações do procedimento?

   O exame é geralmente seguro. As complicações são raras, mas podem resultar em tratamento cirúrgico ou internação hospitalar. Pode ocorrer sangramento, normalmente mínimo, após a biópsia ou remoção de um pólipo. Outros riscos incluem irritação no local onde foi aplicada a medicação endovenosa, reação aos sedativos (apnéia e reações anafiláticas), complicações cardíacas (arritmias) ou pulmonares (aspiração). Complicações maiores como perfuração, são muito raras.

Caso tenha febre, dificuldade para engolir, aumento de volume do pescoço, tórax ou dor abdominal, informe ao seu médico imediatamente.

 

Não encontrou o que procurava? Tente nossa sessão de perguntas frequentes.

 

Essas informações não possuem a intenção de substituir conselhos médicos profissionais. Você não deve utilizar essas informações para diagnosticar ou planejar um tratamento para um problema de saúde sem consultar um médico qualificado. Se você está em alguma situação que coloque em risco sua saúde ou de emergência, procure ajuda médica.

 

Ache o que você deseja.

  • Orientações ao paciente
  • Orientações ao paciente
  • Orientações ao paciente