PDF Imprimir E-mail

Colonoscopia

Última atualização em Dom, 08 de Março de 2009 12:30

   A colonoscopia consiste em um exame endoscópico onde e possível avaliar a mucosa, ou o interior do intestino grosso.

   A colonoscopia está recomendada na investigação de sintomas gastrintestinais, como sangramento retal, dor abdominal, ou alterações do habito intestinal. A colonoscopia também e indicada em indivíduos assintomáticos, sem sintomas, para prevenção do câncer do intestino.

Como rastreamento (screening) de câncer colorretal, ela é recomendada para todas as pessoas acima de 50 anos de idade, e para todos aqueles com historia familiar (pais, irmãos ou filhos) com câncer ou pólipos do intestino.

   O que acontecerá durante o exame?

   Após sua admissão na sala de exame, você precisará remover seus óculos e próteses dentárias. Seus dados vitais e sua saturação de oxigênio serão monitorizados e será colocado gentilmente um pequeno cateter nasal para administração de oxigênio.

   Na sequência, você receberá uma medicação sedativa ou anestésica para permitir que você relaxe e adormeça, através de um acesso venoso em seu braço. A medicação pode causar sensação fugaz de ardência no local da infusão e no trajeto da veia puncionada.

   O médico realizará então um toque retal, seguido a introdução do colonoscópio pelo ânus até o ceco e/ou íleo terminal. Caso você sinta qualquer desconforto, doses subseqüentes da mesma medicação serão empregadas para permitir que um exame tranqüilo e indolor.

   Se necessário, pequenas amostras de tecido (biópsias) podem ser colhidas durante o exame para análise microscópica detalhada. Na presença de lesões elevadas (pólipos), planas ou deprimidas, poderá ser realizada, a critério médico, a sua retirada durante o exame por polipectomia ou mucosectomia. A duração média do procedimento é de 15 a 30 minutos.

   Quais são os riscos do procedimento?

   A colonoscopia é um exame seguro recomendado inclusive para rastreamento populacional para prevenção de câncer colorretal em indivíduos com idade superior a 50 anos. No entanto, como todo ato médico, ela não é isenta de riscos. As complicações da colonoscopia podem ser divididas em complicações relacionadas ao preparo intestinal, a sedação ou anestesia e complicações relacionadas a procedimentos diagnósticos ou terapêuticos.

   Em relação ao preparo intestinal, o uso de catárticos pode ocasionar tonturas, náuseas, vômitos e cólicas intestinais, seguidos ou não por desidratação e desequilíbrio hidro-eletrolítico (alteração na concentração corporal de sódio, potássio e magnésio). Raramente, distensão abdominal pode ocorrer, particularmente em pacientes com tumores avançados do intestino grosso.

   O preparo intestinal é realizado de maneira a prevenir ou minimizar esses efeitos colaterais por hidratação venosa e reposição hidroeletrolítica vigorosa, e uso profilático (preventivo) de anti-eméticos.

   Em relação à sedação ou anestesia, as medicações empregadas na sedação podem provocar reações locais (flebite no local da punção venosa) e sistêmicas de natureza cardiorespiratória, incluindo depressão respiratória com diminuição na oxigenação sanguinea e alterações no ritmo cardíaco (bradicardia e taquicardia) e na pressão arterial sistêmica (hipotensão e hipertensão).  Esses efeitos colaterais são constantemente monitorizados durante o exame com o uso de monitor de oxigenação sangüínea e de controle da freqüência cardíaca, estando a equipe habilitada para o tratamento imediato de qualquer uma dessas complicações.

   Em relação aos procedimentos diagnósticos e terapêuticos, as complicações relacionadas a colonoscopia diagnóstica são raras, ocorrendo em 0,1% a 0,5% dos exames. As mais freqüentes são a perfuração (0,5%) e o sangramento (0,05%). Perfuração ocorre mais frequententemente em pacientes idosos com doença diverticular deformante dos cólons. Hemorragia é excepcional e ocorre geralmente em pacientes com distúrbios de coagulação submetidos à biópsia colônica. Essas complicações são mais freqüentes nos procedimentos terapêuticos, incluindo polipectomia (retirada de pólipos), mucosectomia (retirada de lesões planas ou deprimidas), hemostasia (tratamento de lesões sangrantes), dilatação de estenose (estreitamento) colônica e descompressão colônica. As complicações após a polipectomia são as mais freqüentes, ocorrendo sangramento e perfuração na base do pólipo retirado em, respectivamente, 1 a 2,5% e 0,3% a 2% dos casos. Essas complicações ocorrem geralmente em pacientes com pólipos de grandes dimensões (maiores que 2 cm) e podem ocorrer no momento ou dias após a realização do exame. O sangramento pode ser tratado por hemostasia endoscópica e a perfuração habitualmente requer tratamento cirúrgico.

Avise seu medico se você:
Estiver grávida
Tiver prótese óssea articular ou cardíaca
Sofrer de insuficiência renal ou cardíaca
Fizer uso regular de Aspirina®, Marevan® (warfarin), Plavix®, Ticlid®

   A fim de que a colonoscopia seja feita com sucesso e máxima eficácia e preciso que o intestino esteja limpo, para que o medico possa ver e avaliar a mucosa do cólon.

Sem um preparo intestinal adequado o exame tem sua eficácia reduzida, e muitas vezes precisa ser repetido.

   Como é realizado o preparo para a colonoscopia?

   Dois dias antes do exame.

   Dieta sem resíduos.
   Não comer frutas, saladas, cereais, aveia, fibras vegetais, feijão.
   É permitido comer : Arroz, batata, carne de gado ou frango, macarrão, líquidos em geral.

   Um dia antes do exame.
   Dieta liquidificada.

   No dia do exame.
   Exame agendado pela manhã: Ingerir 700 ml de Manitol a 20% (disponível em farmácias de manipulação) + 700 ml de suco de laranja às 20 horas do dia anterior ao exame. Tomar aproximadamente dois litros de água das 21:00 até as 23:00.
   Exame pela tarde: Ingerir 700 ml de Manitol a 20% ( disponível em farmácias de manipulação) + 700 ml de suco de laranja às 8:00 (manhã). Tomar aproximadamente dois litros de água das 8:00 até as 10:00.
    Permanecer em jejum absoluto até a hora do exame. Não tomar líquidos após as 10:00.

   Tome 1 comprimido de metoclopramida (Plasil®) meia-hora antes do início da ingestão do manitol para evitar náuseas e vômitos. 

  
Procure trajar roupas leves para a realização do exame. É indispensável presença de um acompanhante.

 

 Preparo Intestinal    Termo de consentimento

 

 

Não encontrou o que procurava? Tente nossa sessão de perguntas frequentes.

 

Essas informações não possuem a intenção de substituir conselhos médicos profissionais. Você não deve utilizar essas informações para diagnosticar ou planejar um tratamento para um problema de saúde sem consultar um médico qualificado. Se você está em alguma situação que coloque em risco sua saúde ou de emergência, procure ajuda médica.

 

Ache o que você deseja.

  • Orientações ao paciente
  • Orientações ao paciente
  • Orientações ao paciente